"Toda memória de um homem é sua literatura particular"

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

1 Série & 1 filme sobre gastronomia - Por Leila Jacob



Resultado de imagem para gif gastronomia



Oi pessoal, tudo bem?

Entretenimento é algo que amamos, certo?

Quando tem receitas, ingredientes e muita historia, então, é melhor ainda. Nessa onda de programas gastronômicos, o que fica é a curiosidade dos telespectadores em se imaginar em uma bela cozinha cheia de utensílios de última geração (Eu também me imagino hehe!)

Há quem pense que não tem muito material sobre gastronomia e é ai que muitos não conhecem essas belezuras que irei apresentar, vamos lá.



1.Cooked
Para aprender e cozinhar

Resultado de imagem para cooked


Depois do sucesso de seu livro ¨Cozinhar, uma historia natural da transformação" Michael Pollan mostra, através desse documentário, a imagem do que ele quis passar com o livro, e que imagens hein, a fotografia é fantástica.

Resultado de imagem para cooked michael pollan

O documentário é dividido em 4 episódios são eles: Fogo, Água, Ar e Terra. Cada elemento tem sua importância na hora em que colocamos a mão na massa, alias é exatamente isso o que Pollan quer passar: ao invés de pedir delivery, vá cozinhar.
A indústria alimentícia tirou as pessoas da cozinha, sobra mais tempo, porém perdemos nossa herança cultural, da família reunida na mesa e ainda ficamos doentes.
Michael faz experiências, conta historias e tira conclusões, ou seja, quem assistir vai aprender muito.

*Disponível no catalogo Netflix.




2. Vatel, um baquete para o rei
Para aprender e aprender


Resultado de imagem para vatel um banquete para o rei



O que pensamos quando ouvimos a palavra "Banquete", exuberância, momento festivo, várias comidas. E é exatamente isso que Vatel fazia.
No filme o Príncipe de Condé chama o rei Luis XIV para um grande banquete e tudo fica nas mãos de Vatel, que é mordomo do Príncipe.
Já na historia de François tendo realmente acontecido ele sempre quis mostrar ao rei que era o melhor cozinheiro.                                                                                                                                                  Com esculturas de gelo, de açúcar, fogos de artifícios, espetáculos e muita música os banquetes de Vatel enchiam os olhos e o filme mostra muito de tudo isso.   

Imagem relacionada


                                                                                                                                                                      A controvérsias sobre a morte de François Vatel, numa certa versão Vatel tinha errado o numero de assados para todas as mesas do baquete de Pascoa, estressado por conta dos peixes que não chegavam Vatel se suicidou, os peixes chegaram e tudo não passou de um mal entendido

Na outra versão Vatel estava triste e decepcionado com a realeza pois estavam tratando como um objeto, o rei ganhou sua posse em um jogo de cartas e queria leva-lo para o Palácio de Versailles como um escravo.

*Muitos dizem que Vatel é o inventor do Creme chantilly, porém há registros que os cozinheiros mestres de florença da casa dos Médicis (Aliás vamos papear sobre esses caras qualquer hora!) já batiam cremes a base de açúcar e aromas.                                                                                                                                                                                                                                                                                                E ai, pessoal, gostaram? Cometem e vamos conversar!                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                   























terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Coisas que a ciência não explica (parte 2)






FELIZ 2018, POVO QUE LÊ!!!

Para começarmos bem o ano, lá vai um presentinho para vocês, queridos leitores: A segunda parte da minha micro novela "Coisas que a ciência não explica"




Coisas que a ciência não explica” (parte 2)

           
            Estávamos estáticos, olhando a filmagem que graváramos há alguns minutos atrás, reproduzida nos monitores do nosso estúdio móvel: uma monótona dança de vaga-lumes que nada dizia sobre os seres estranhos, pequenos hominídeos de olhos de lanterna, que havíamos encontrado e filmado sobre o tronco daquela árvore imensa e cheia de musgo.
            Que seres seriam aqueles? E por que nossas câmeras não haviam registrado a realidade? Mas o que era real? Os vaga-lumes ou os minúsculos seres assustadores e arrepiantes? Estaríamos sobre o choque da onça que quase havia nos devorado antes do estranho encontro com esses pequenos seres?
            Ficamos eu e o Mário assim, submersos em nossas questões, quando um calor nos queima a nuca, como uma labareda; e um relincho nos ensurdece todas as interrogações. Olho para a porta do trailler, que havia deixado aberta na afobação, e vejo uma serpente enorme, enrolada sobre seu próprio corpo que tinha aproximadamente a largura de minha cintura com quase meio metro da parte superior de seu corpo levantada, sustentando uma cabeçorra do tamanho da minha. Vermelha como fogo, sentia nosso cheiro com sua língua negra lambedoura de ar.
            Nunca havia visto uma cobra como aquela. Chamei o Mário que já estava com a câmera ligada na direção do animal. Percebi que seria nossa última oportunidade de mandarmos algo para a emissora. Olhei para a câmera e comecei:
            - Pessoal, acabamos de receber uma visita espetacular aqui no nosso trailler de gravação. É uma serpente enorme! Nunca vi algo como esse bicho! Tão grande e vermelho desta forma! – enquanto falava, fui vagarosamente me aproximando do animal com a mão estendida para que ele sentisse meu cheiro com sua língua, mas faltando um metro para encostar no bicho, percebi que ele emanava um calor absurdo. Me assustei com a sensação térmica e puxei, automaticamente, minha mão para trás e disse para o Mário sem mais me preocupar com a gravação:
            - Mário, essa droga é quente! Cobras não são quentes!
            Assim que me virei para o animal, pequenos homens verdes com enormes chapéus e olhos de luz pousam sobre todo o corpo fervente da cobra e um zunido de relincho começou a perfurar meus tímpanos:
            - Você não é máquina, é mata. Venha velozmente de volta!... Você não é máquina, é mata!  Venha velozmente de volta!...
Eu estava beirando a loucura, já não sabia mais o que era ciência e o que era fantasia.
 (Continua...)

Espero que estejam gostando da novelinha, do mais, para 2018, ótimas leituras a todos

Bjks!
Fabi

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Coisas que a ciência não explica (parte I)

Olá, povo que lê!

Hoje vim trazer pra vocês uma novelinha de 3 capítulos que escrevi esse ano pra Revista Sintonia, aqui da minha região. A cada postagem minha, vocês lerão um capítulo, pode ser? Espero que gostem, o feedback de vocês aí nos comentários é importante!

Resultado de imagem para gif floresta


 Coisas que a ciência não explica

Era mais uma noite de gravação. Eu e o Mário estávamos a procura de mais um animal noturno para terminarmos aquele set. Precisávamos entregar as imagens na manhã seguinte para serem feitos os cortes e montagens necessárias.
Já estávamos exaustos. A onça havia nos dado uma canseira após ter-nos descoberto. Sorte que todas aquelas árvores tortuosas serviram para nos auxiliar na fuga.
Andávamos cautelosos para não causarmos mais acidentes. A noite estava escura, sem lua e sem estrelas. A lanterna mal clareava um metro a nossa frente.
Dois pontos brilhantes apareceram sobre uma árvore musguenta. Graças a Deus! Havíamos encontrado uma coruja!
Pé ante pé nos aproximamos e começamos a gravar. Eu já começava a fazer a descrição da possível espécie quando a luz começou a mostrar outros pontos brilhantes espalhados pelos galhos... com grandes cabeças largas... não, não eram cabeças, pareciam chapéus... e asas cruzadas sobre os corpos... não havia penas, eram braços...
O que eram aqueles seres?
Arrepios correriam pela minha espinha.
A luz desapareceu.
Quando olhei para trás, Mário já não estava mais comigo.
Ouvi um relincho de fogo vindo de trás das árvores, que fez com que todos aqueles pequenos seres se levantassem sobre os galhos e fixassem seus faróis em minha direção.
Como um animal sendo caçado, fugi para o treiller. Corri como nunca havia corrido antes, sem olhar para trás.
Abri a porta desesperadamente e encontrei Mário sentado, na frente do equipamento, pálido, assistindo à filmagem.
A imagem era de uma dança de vaga-lumes. Sumiram os chapéus, os braços, o relincho de fogo.
Nos olhamos sem palavras.
A tecnologia e a biologia não explica alguns fenômenos. Na manhã seguinte não teríamos material para entregar à emissora.

Continua...

Bjks e Boas leituras!

Fabi

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Chick lit: livros de amorzinho

Olá, povo que lê!

Primeiramente, desculpem-me pelo atraso da postagem, mas é que ontem foi uma correria só, mas hoje já estou aqui com uma recomendação literária fresquinha pra vocês.
Mas antes da recomendação, deixe-me falar um pouco sobre o título da postagem: "Chick Lit". Conheci esse termo quando eu conversava sobre "O diário de Bridget Jones" com minha amiga Leila - coautora aqui do blog -, dizendo que eu gostava muito do livro e de outros romances que seguiam essa mesma linhagem, e foi então que ela me disse que esses livros são do novo gênero literário "Chick Lit"- segundo minha amiga Cris Oliveira, poliglota e tradutora, Chick (mina, na gíria) e lit  (abreviação de literature) - nada mais é do que romances românticos onde protagonistas mostram nuances da vida da mulher atual, com destaque para seu lado profissional, familiar, aspectos emocionais, psicológicos e sociais, mas principalmente, as aventuras e desventuras amorosas do mundo feminino. 
Gente, sei que livros como esses sofrem um preconceito tamanho, e sei também que muitos são mal escritos, mas calma aí, dá licença de eu me divertir lendo sobre mulheres as quais me identifico e que geralmente têm um final feliz? Ok, obrigada por me darem licença, senhores críticos... E viva as novas autoras do gênero! Como muitos de vocês sabem, odeio estrangeirismos em nossa língua que já é tão complexa e rica, apesar do gênero ter surgido em terras de língua inglesa,  no livro "Fazendo meu filme 1", a autora Paula Pimenta diz que sua protagonista de seu livro gosta de "filmes de amorzinho", então vou adotar esse termo para classificar esse novo gênero literário. Portanto, hoje, indicarei a vocês, alguns "livros de amorzinho".
Esse ano ganhei dois box do meu digníssimo marido. Ele sabe o tipo de livro que gosto, e sabe que amo quando me dá livros, mas tenho certeza que uma das maiores razões para ter comprado foi o preço. Ele pegou uma promoção nas Americanas! :D Seu método de compras literárias é o seguinte: tá barato, então beleza! Ele não é um cara que vai pela sinopse do livro, portanto, minha gente, antes que vocês pensem bobagem, ele não comprou com segundas intenções, comprou apenas para me deixar feliz com pouco dinheiro!
Enfim, o primeiro box é da Nora Roberts "Quarteto de noivas". Há uns 10 anos atrás, li meu primeiro livro da Nora : Lua de sangue. Gente, amei!!! Inclusive também tem o filme. Super recomendo. Mas hoje vim mostrar mesmo é esse box super fofo, formado por quatro livros. Cada livro conta sobre a história de uma das meninas que juntas formam uma sociedade que produz festas de casamento. O primeiro livro, "Álbum de casamento",  fala sobre a fotógrafa; o segundo, "Mar de rosas", sobre a florista; o terceiro, "Bem-casados", sobre a doceira e o último, "Felizes para sempre", sobre a administradora/relações públicas da empresa. O legal, além de ver o desenvolvimento do enredo de cada uma das protagonistas, é perceber como a autora vai costurando os enredos. 1168 páginas que te deixam com gosto de quero mais ao chegar ao fim da saga. Além disso, essa edição da arqueiro tem páginas amareladas e letras grandes e espaçadas, ou seja agilidade na leitura é algo certo.
O segundo box é "De repente", da Susan Fox. Confesso que esse box não me chamava a atenção. Meu digníssimo comprou-o por conta e risco e os livros ficaram na estante um tempão me olhando e falando: "e aí? vai adiar minha leitura até quando?" Até que mês passado não aguentei tanta audácia e peguei o box para lê-lo. Também é composto por 4 livros, mas agora as protagonistas são 4 irmãs, onde cada livro fala sobre uma das irmãs viajando para a terra natal organizar o casamento da caçula. Ui, preparem-se, pois esse box é quente... nele tem de kama sutra a encontros românticos em praias. O legal é que as 3 irmãs mais velhas, super mal resolvidas amorosamente, conseguem, na viagem (inclusive cada uma faz essa viagem num meio de transporte diferente), encontrar um bom par, enquanto a irmã mais nova que aguarda as mais velhas para assistirem ao seu casamento e que namora com o mesmo carinha desde sempre, está super infeliz amorosamente e, durante o último livro, tenta reencontrar o novo no que já sempre existiu. As 1510 páginas também são super rápidas de ler, quentes e divertidas.
Pois então, ficam aí minhas dicas das leituras de alguns "livros de amorzinho" que li esse ano. Espero que gostem,  e se não gostarem, também não tem problema, deixe sua opinião aí pra eu saber se compactuamos com a mesma opinião.
Bjks e Boas Leituras!
Fabi

Quarteto de noivas
Nora Roberts
Editora Arqueiro

Saga De Repente
Susan Fox
Editora Única