"Toda memória de um homem é sua literatura particular"

domingo, 31 de maio de 2015

Kizomba

Em minha adolescência ia muito numa danceteria chamada Reggae Night, onde tinha suas noites abertas por Zouk, e aquele ritmo, aquela dança de corpos grudados, me levavam pra outros universos. Mas no zouk, o que mais me chamava a atenção era o zouk love, que tinha uma "pegada" mais romântica, num ritmo mais devagar e sensual. 
Pra quem não sabe, o Zouk é um ritmo criado no Caribe, com grande influência de ritmos africanos, cantado, basicamente em frânces, já que surgiu nas colonias francesas.
Descobri há um ano a Kizomba, que apesar de ter surgido nos anos 80, assim como o zouk, só me caiu no colo esses dias. Diferente do zouk, surgiu em Angola, muito semelhante ao zouk love, só que suas letras são em português, acho que por isso que me apaixonei por esse ritmo, e tanto no rádio do carro quanto no computador, só tem tocado kizomba. 
Resolvi postar uma de minhas canções favoritas de kizomba "Jajão" de Master Jack. 
Apesar de ser em português, já que em Angola, por ter sido colonizada também por Portugal, se fala português, gostaria de destacar algumas diferenças tanto de sotaque, quanto de vocabulário, quanto de sintaxe.
O próprio título já é um termo desconhecido no Brasil pois tem origem totalmente angolana da palavra "calão", "mentira".
Outra coisa de se perceber é a estrutura do verso "E o que faço eu" onde sintaticamente desestruturado diante da norma, mostra o não saber fazer do eu-lírico em destaque do próprio eu.
O sotaque é um espetáculo a parte. Só escutando para entender, portanto, ouça e saia dançando e cantando...

Jajão 

Era só Jajão 
Quando tu dizias que eu sou teu único amor baby 
Era só Jajão 
Quando tu dizias que serias sempre a minha baby 
Era só Jajão 
Tu dizias que me morres que me adoras baby 
Era só Jajão 
Quando tu dizias para pedir a tua mão 

E o que faço eu se não tenho o teu carinho 
E o que faço eu se não tenho o teu beijinho 
E o que faço eu se não tenho a onde eu te encontrar 
E o que faço eu se não tenho a onde reclamar 

Me diz porquê pelo amor de deus 
Sabes que eu amava-te de coração 
Eu não mereço, eu não mereço! 

Foi muito pior que bala de canhão 
De princesa para rainha do Jajão 
Eu não mereço, eu não mereço! 
Juro eu não mereço baby 
Não, eu não. 

Eu juro, eu não entendo baby 
Parece coisa do outro mundo sweet 
E se for vodu, quebra esse feitiço 
Eu quero a minha bo 

(porque eu amo) 
Amo demais essa mulher 
(amo) 
Me diz que posso fazer 

E o que faço eu se não tenho o teu carinho 
E o que faço eu se não tenho o teu beijinho 
E o que faço eu se não tenho a onde eu te encontrar 
E o que faço eu, diz-me onde reclamar 

Me diz porquê pelo amor de deus 
Sabes que eu amava-te de coração 
Eu não mereço, eu não mereço! 

Foi muito pior que bala de canhão 
De princesa para rainha do Jajão 
Eu não mereço, eu não mereço! 

Me diz porquê pelo amor de deus 
Sabes que eu amava-te de coração 
Eu não mereço, eu não mereço! 

Foi muito pior que bala de canhão 
De princesa para rainha do Jajão 
Eu não mereço, eu não mereço! 
Juro eu não mereço! 

Me diz porquê pelo amor de deus 
Sabes que eu amava-te de coração 
Eu não mereço, eu não mereço! 

Foi muito pior que bala de canhão 
De princesa para rainha do Jajão 
Eu não mereço, eu não mereço! 

Me diz porquê pelo amor de deus 
Sabes que eu amava-te de coração 
Eu não mereço, eu não mereço! 

Foi muito pior que bala de canhão 
De princesa para rainha do Jajão 
Eu não mereço, eu não mereço! 


https://www.youtube.com/watch?v=vMgp904a3nc

Nenhum comentário:

Postar um comentário