"Toda memória de um homem é sua literatura particular"

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Segunda resenha da #MLI2015





Mais um livro lido na Maratona Literária de Inverno 2015. Missões realizadas nessa leitura: um livro com mais de 400 páginas, um livro com ilustrações, um livro de um gênero que pouco li ano passado e que seja recomendação de alguém (inclusive, obrigada a Judite Junho e a Lucas que me indicaram a leitura).

Não foi nenhuma bravura ler um livro tão grande rapidamente. Will Einster foi um prestigiado cartunista e este livro é todo em HQ.
Nova York: A vida na grande cidade, retrata não apenas a cidade de Nova York em meados dos anos 80, mas qualquer megalópole espalhada pelo mundo.

Muitas vezes me encontrei no meu passado angustiante em SP.

Nasci e cresci em São Paulo, mas foi exatamente pelas questões tratadas no livro que me refugiei numa cidadezinha do interior: as grandes multidões, a indiferença, a ganancia, a avareza, o egoísmo, a violência, a sujeira, o trânsito, a arquitetura claustrofóbica, os falsos amores e relacionamentos de amizade e profissionais. Tudo bem, essas características se encontram em qualquer lugar do mundo, mas nas grandes cidades elas encontram forças, como um jacaré transformando-se num Goodizila.
Acredito que a verdadeira literatura é aquela que mexe com o nosso âmago, sendo essa ação positiva ou não, e muitas vezes a indignação , o constrangimento, a agonia e a compaixão me arrebataram sem piedade no meio da leitura.
Realmente não é um quadrinho para crianças. Espero que gostem!


Nova York: a vida na grande cidade.
Will Eisner
Augusto Pacheco Calil (trd)
Quadrinhos na cia.
439 páginas.

Boas leituras!


Nenhum comentário:

Postar um comentário