"Toda memória de um homem é sua literatura particular"

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Visita à Biblioteca: sempre com boas surpresas.


 Primeira semana de férias, curtas, de apenas duas semanas. Crianças todas na casa da avó em SP. Marido trabalhando. Casa limpa. O que me resta a fazer? Ir à biblioteca municipal, claro.
Bom, a biblioteca daqui de Piracaia é muito fofa por fora, mas apesar do acervo enorme, está super abandonada. Tem telhas quebradas e grande parte do acervo, principalmente da sala de Literatura Brasileira e da sala de Literatura Infanto-juvenil, danificou-se com vazamentos e alagamentos das chuvas, e esses acontecimentos não são de hoje, desde que me mudei pra esta cidade, a biblioteca sofre. Além disso, a biblioteca ainda não está digitalizada. Tudo é registrado manualmente ou em uma velha máquina de datilografar através do sistema Dewey de organização. Uma trabalheira só.
Mas, aqui nós temos o mitológico Seu Dito. Sem grandes sorrisos, nem grandes saudações, o Seu Dito é um senhor que manja muito sobre literatura, principalmente a quinhentista e teatral brasileira. Além disso, ele sabe onde estão todos os livros da biblioteca, quais estão emprestados, quais estão nas prateleiras, quantos volumes há do mesmo título... Para que tenham uma ideia, ao chegar disse a ele:
- Seu Dito, só consigo vir aqui nas férias mesmo! Tenho um problema: só encontrei a carteirinha dos meus meninos, não sei se estou devendo algo para a biblioteca!
- Tudo bem, Fabiana, você não deve nada pra biblioteca; já o seu filho Miguel está com um livro emprestado, mas podemos fazer outra carteirinha pra você!
:O como assim? Que meda!
Depois de fazermos a nova carteirinha, Seu Dito veio todo orgulhoso mostrando o que ele acabara de receber dos correios:


 E me explicou que ano passado, um grupo de universitários da Universidade São Judas Tadeu de São Paulo, veio até Piracaia fazer um levantamento cultural da cidade para um estudo turístico e caíram na Biblioteca Municipal, por sorte deles, pois além dos requisitos já citados, o Seu Dito também sabe muito sobre a história do município. Assim como a maioria das pessoas que adquirem sabedoria com o tempo, é um bom contador de estórias e história, relatos natos do passado e vislumbrador do futuro.
Os pesquisadores tinham o trabalho quase todo pronto com os relatos do seu Dito e mandaram a ele, o trabalho original, com a dedicatória, as correções originais e nota na página de rosto.


 Parabéns aos pesquisadores, pois o trabalho ficou super rico e completo!
 Apesar do orgulho, e saber que o presente era pra ele, e não pro município, Seu Dito disse que iria deixar o trabalho na biblioteca para futuras pesquisas.


 Olha a biblioteca aí numa das fotos do estudo! E claro, o Seu Dito, todo orgulhoso com o trabalha em mãos!

E enquanto eu escolhia minhas leituras, íamos proseando e chegando a conclusão que, ás vezes, a valorização cultural, dá-se muitas vezes por aqueles que estão de fora, e que os munícipes, muitas vezes, nem ligam praquilo que é da terra. Se for contar com a valorização dos órgãos públicos então.... Affffff! Aqui, e acho que no Brasil em geral, cultura e educação geram muita grana, mas nada que seja aplicado efetivamente à população.
A conversa ia caminhando nesse rumo desanimador da insatisfação da gestão política, quando ele me lembrou que daqui há dois anos Piracaia completará 200 anos, e que temos que fazer algo de relevância cultural. Perguntei se ele tinha alguma ideia, e claro, que ele me disse que haviam várias.
Uma delas seria escrever uma peça com a história da fundação da cidade e disse que uns 7 atos seriam o suficiente. Claro que topei na hora, me dispus a escrever as ideias dele e mobilizar as crianças do meu grupo teatral para a encenação. Uhuuuuu! Mais um projeto de escrita a vista, afinal, se nós da cultura e da educação não fizermos, quem fará?
E no meio desse papo todo (e dizem que biblioteca é lugar de silêncio, mas como apenas eu, infelizmente, estava lá como visitante...), consegui separar essa pequena TBR.


Que dúvida gigante! Nunca consigo escolher quando vou à biblioteca ou comprar algo em livrarias, não que eu não tenha passe livre na biblioteca e pudesse trazer quantos quisesse, mas sim porque sei que é muita pretensão minha propor-me a ler todo esse monte em duas semanas de férias com muita roupa pra lavar!!!

Bom, depois de folhear, ler as orelhas, as contracapas, pedir opiniões, sentir o cheiro, ver o número de páginas, a capa... Que trabalheira! Consegui separar os que estão aí ao lado, e com muita honestidade que digo que O Mágico de Oz e A Lenda dos Guardiões já estão lidos. Hoje inicio O Reino do Dragão de Ouro...
...E quando eu voltar pra devolver, quem sabe já tenha o material pra escrever a peça... e daqui uns dias, começarei a postar as resenhas do resultado das leituras de férias da biblioteca.
Não há melhor descanso de férias do que o trabalho despretensioso! Amo!

Boas Leituras!

2 comentários:

  1. Oii Fabiana,
    Ai que tudo, adorei suas escolhas.
    Sou doida pra ler O Mágico de Oz.
    Boas leituras.

    bjs e tenha um ótimo final de semana
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  2. Oie, Nana!

    Vou te falar! É lindo! Nunca gostei do filme, mas o livro... adorei! As ilustrações são originais e o contexto é muito mais intenso que o filme, mas depois te conto mais na resenha!

    Bjks e Boas Leituras!

    ResponderExcluir