"Toda memória de um homem é sua literatura particular"

sábado, 2 de abril de 2016

Recanto dos Leitores Escritores

Olá, povo que lê!

Como sempre, estou virada nos agitos, sem tempo de respirar. Entre os agitos, o grupo Recanto dos Leitores Escritores. Esse grupo é composto por várias pessoas que, em língua portuguesa, gostam de escrever. Ninguém é profissional, mas todos são apaixonados pelo ato de escrever e de ler, e claro que fui atraída por eles (parece que tenho um ímã pra esse tipo de gente boa). Conheci gente do Brasil todo, e tem galera até de Angola! O grupo funcionará com um tema mensal para escrita, e o primeiro tema é "Porque escrevo". Os textos serão publicados lá no grupo do face, mas também vou registrar os meus aqui sempre que for possível. Então, lá vai meu primeiro texto:

Escrever

                Minha carne é de pedra, meus ossos são de aço, meu sangue, eletricidade. Não sou um herói de ficção. Apenas me metamorfoseio todas as noites, para que no próximo amanhecer, a sobrevivência se faça.
                Os nervos doem. A vida mata.
Mas há a esperança de que nada mais é que pó de felicidade que a vida sopra antes da morte. Esta felicidade chama-se Literatura.
Tanto a que recebemos quanto a que escorre de dentro de nós.
É um ato de sobrevivência ficcionar em fluídos sanguíneos letras que transbordam da esferográfica.
É respirar a fumaça intensa dos sonhos utópicos daquilo que não há.
Acreditar que amor e dor não são elementos de uma guerra maniqueísta, mas único rei governante de um penar.
É causar a explosão neurônica de filosofias impalpáveis.
É pulsar eletricamente o aço, para que faça movimentar a pedra em direção a morte que é viver.

O escrever é o único indivíduo que tem piedade do escritor ao matá-lo dando vida à literatura.


Boas Leituras!

Nenhum comentário:

Postar um comentário