terça-feira, 17 de setembro de 2019

Muitas leituras e vontade de fugir para as colinas ler - Leila Jacob

Resultado de imagem para leitora

Os leitores tem manias irreparáveis como cheirar livros, virar a noite lendo, não dobrar a capa do livro, colecionar marcadores, não emprestar livros favoritos entre outras coisas.
Surgiu em meio a essa avalanche de blogs e canais o famoso diário de leitura, coisa que eu nunca fiz mas venho hoje por meio desse post comentar sobre meu momento de leitura que tem andado muito bem, graça a Deus.

Estou vivendo um momento de como diz a Isa Vichi, Piriguetagem Literária, lendo diversos livros ao mesmo tempo e estou achando bem produtivo, apesar de louco.

Sou aquela leitora que não aguenta ver uma biblioteca que já puxa o rg e comprovante de endereço pra fazer a carteirinha, e as bibliotecas tem me ajudado muito a consumir menos, ou seja, estante não recebe um livro novo há alguns anos, mas não é por isso que a piriguetagem literária não acontece, vejam só:

Lendo atualmente:

Resultado de imagem para meu romeu

Meu Romeu - Leisa Rayven
Bem clichê do tipo moço sensacional e mocinha que ta superando o passado e aprendendo a ser superior, ta demorando pra pegar o embalo e já já acaba sem embalo.

Resultado de imagem para medo classico edgar allan poe

Medo Clássico - Edgar Allan Poe

Nada horripilante, mas bem legal pra matar a curiosidade de quem nunca leu Poe.

Resultado de imagem para para sir phillip com amor

Para Sir Phillp, com amor - Julia Quinn

Julia deveria ser Queen, amo os clichês dessa mulher, a culpa todinha é da Fabiana que me viciou nessas historias água com açúcar.

Resultado de imagem para os catadores de conchas

Os catadores de Conchas - Rosamunde Pilcher

Ainda não peguei o embalo, mas a vida sempre me leva pra ler esse livro, então acho que tem alguma coisa nisso ai...

Resultado de imagem para apaixonada por palavras

Apaixonada por palavras - Paula Pimenta

Tá meia chateada, cansada ou sem vontade de ler...pega esse livrinho e lê só um conto, tenho certeza que um risinho vai sair.
(Mulheres vão se identificar mais.)

Para conciliar a rotina com a leitura já é difícil, mas estou levando bem na esportiva com todo meu amor de leitora. Se sinto vontade de ler romance de época lá está ele me esperando, se quero contos lá está ele me esperando etc.
O bom disso é que não fico presa a um livro, e dependendo do clima ou humor, tem livro pra saciar o momento.
Analisando minhas leituras, que por mais que sejam livros de premissa diferentes vejo que o romance está em primeiro lugar como sempre, vou começar a escrever sobre minha leituras gerais pra ver se sou realmente uma maluca por romances.
Dá vontade de largar tudo e fugir para as colinas, só pra lê?
Claro que sim, levando toda a coleção que faz parte da piriguetagem literária.

E vocês o que estão lendo ultimamente? Me conte nos comentários.


Sigam os igs:

@linguaeliteratura_

@fabipsanchez

@leilabookcook

@tworeadersgirls


@cristianeolis78





terça-feira, 10 de setembro de 2019

O Brasil e a Literatura Espírita - Lu Rabello


Olá, leitores
Vim hoje falar sobre um gênero literário não muito comentado nos círculos de leitura mas que, em contrapartida, tem um grande público aqui no Brasil.

É a literatura espírita.

Por ser extensa, e ter tido seu início na França com Allan Kardec*, me atentarei às obras nacionais.


quarta-feira, 4 de setembro de 2019

terça-feira, 27 de agosto de 2019

Os 8 odiados (da minha literatura) - Lu Rabello



Todo leitor tem um tipo de estória que aprecia mais, seja romance, drama, suspense. E tem também os que não gostam de determinado gênero.
Já eu, tenho uma certa encrenca com alguns autores. Autores renomados que não tenho a menor vontade de ler.

Costumamos sempre falar sobre os nossos autores mais queridos, mas nunca ouvi ninguém falar a respeito de autores que não tem vontade de ler (talvez, seja só eu mesmo). Sabe, autores muito conhecidos, que você vê um livro e fala: “Ah, não tenho a menor disposição pra ler isso”?

Dessa vez, a biblioteca, um passeio sempre tão agradável para mim, se tornou uma busca pelos meus “desafetos”
Vem acompanhar os meus 8 escolhidos:

terça-feira, 20 de agosto de 2019

Escrita colaborativa: Águas de nós dois (Fabi e Dan) - por Fabi Sanchez

Olá povo que lê!

Hoje vim trazer uma coisa inusitada para minha experiência de escrita: um texto colaborativo.
O texto colaborativo nada mais é do que um texto escrito a duas ou mais mãos. Na verdade, eu e as meninas aqui do blog, sempre fazemos textos coletivos, onde cada uma tem um espaço no texto, com seu próprio título, como se cada uma escrevesse uma coluna sobre o mesmo tema, mas este texto que mostrarei a vocês é um texto literário único, escrito a duas mãos: as minhas e a do Dan.
Conheci o Dan no instagran @poeticonceito (lembram-se que citei esse insta e o projeto que ele abraça no post A serpente e o amor ? Pois então, depois disso temos trabalhado vários textos juntos, e este que vou expor a seguir, foi nosso primeiro colaborativo. O tema era sentimentos e resolvemos falar sobre sentimentos com um eu-lírico "água" que metamorfosea-se durante o texto, iniciando o ciclo em chuva, transformando-se em rio e jorrando no mar. Espero que gostem. 

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Afinal... e esses e-readers? / por Cristiane Oliveira


Oi pessoas! Tudo bem?

No post do dia 16 de julho, a Fabi falou sobre um assunto que nos acompanha seja na vida pessoal ou no trabalho: a falta de tempo. Se você não viu, dá uma conferida:

https://www.linguaeliteratura.com.br/2019/07/o-tempo-e-literatura-por-fabi-sanchez.html?m=1

E o curioso foi ela ter citado as muitas opções tecnológicas das quais fazemos uso e, mesmo assim,  parece que ainda continuamos sem o tal do tempo.


Pensando nisso e aproveitando para unir o útil ao agradável, resolvi dar uma volta pelo mundo dos ebook readers, pois para quem passa muito tempo em redes sociais, o tempo gasto seria o mesmo para se dedicar a uma boa leitura, concorda?

terça-feira, 6 de agosto de 2019

Um momento de escrita - Por Leila Jacob

A vida do leitor é rodeada por diversas manias e vontades. Creio que se eu não fosse uma boa leitora com certeza não estaria escrevendo esse post para o L&L e muito menos vários textos que escrevo em minhas cadernetas de florzinhas.
O fato é que a maioria dos leitores já se viu pensando em escrever algo novo e diferente, se anima muito para começar a contar sua estória. As vezes ele é barrado por uma pessoa que não sabe nada de escrita e diz que o texto está péssimo, já aconteceu comigo se já, ou quando seu romance está pronto ele descobre que o mercado editorial é péssimo.

 
Resultado de imagem para escritor gif


Quer um conselho de amiga?
Escreva, não olhe para esquerda ou direita e escreva. O dia que você sentir que é algo publicável procure um leitor beta, um revisor e varias outras pessoas que fazem parte do processo. Mas nesse momento apenas escreva

E pra não ficar só nessas palavras, aqui vai um texto que escrevi para o desafio dos 30 dias( que só fiz 7, mas a vida do escritor amador é assim mesmo).Para escrever esse texto me inspirei na série Desperate Housewives, mas deixei o final um pouco mais chocante do que de costume na série. Bem espero que aproveitem!

Suzana não podia acreditar que estava fazendo isso, ela sabia que iria se arrepender amargamente dessa participação macabra. Ela não tinha escolha, não poderia dizer negar isso para sua amiga, nem ela nem as outras poderiam negar.

A mais mandona era Lizete, só que nessa noite ela estava muito quieta. Muito antes do evento trágico acontecer, Lizete tinha pedido para o marido ir embora de casa. Ela sabia que ela tinha 50% de culpa por aquele casamento não ter dado certo, mas ela estava se sentido satisfeita e livre. De vez de estar preocupada com o que estava fazendo ela estava pensando em divorcio, essa era Lizete.

Estavam indo em direção a floresta, e a ideia desse passeio secreto era de Bia, a mais estrategista do grupo. Era só enterrar e pronto, até por que ninguém visitava aquela parte da floresta. Bia amava suas amigas e as protegiam custe o que custar, e se fosse preciso cavar  um buraco no meio da noite iria fazer isso, sabia que o Criador não aprovava sua atitude, mas deixou esse pensamento para o dia seguinte. Não poderiam contar a policia, tudo estava contra elas.

-Desce do carro Daniele, não podemos demorar, não podemos ser pegas agora.

-Não me apressa Bia, você sabe que isso é horrível para mim! - Fungou tentando mostrar o quanto estava abalada.

As quarto mulheres puxaram o baú do porta-malas e levaram até a clareira mais distante da estrada. Cavaram uma cova funda, jogaram o baú e cobriram de terra. 

-Me sinto suja! - Murmurou Suzana - Como vou olhar para minha família amanhã, vou me sentir julgada a cada instante!

- Só você, e eu que sou a causa disso hein Suzana, precisávamos fazer isso!

-Não Daniele! Você nos jogou na sua sujeira e tivemos que limpar a pulso!!!- Gritou Lizete com raiva de toda a situação.

- Meninas vamos voltar para o carro rápido, esse é o nosso segredo, fizemos isso pela Daniele. Todas temos que colaborar, lembram da Alice, morreu porque não contou com nossa ajuda! Ninguém será vitima da injustiça, nunca mais! 
E tomaram o caminho de volta para a pista, o chão estava molhado e quando mais elas andavam os sapatos ficavam mais pesados e grudentos. Daniele estava sentindo as agulhas do salto afundarem na lama e estava ficando mais gosmenta.

-Meninas estão sentindo essa lama ficando gosmenta?

-Ai, meu pé atolou, me ajudem a sair daqui! - Susan se sentiu uma aflição grande ao ver o pé dentro daquele barro.

-Nossa Suzana, não consigo te puxar! Vem ajudar Daniele e Lizete.

Quando Bia olhou para trás viu as amigas sendo engolidas pela lama.

-Meninas!!!

Ao voltar os olhos para Suzana, viu a amiga petrificada, roxa e fria. 

-Suzana!!!O que está acontecendo???

Bia sentiu alguém puxando o seu pé, seu coração congelou ao ver a mão que saia da terra, aquele anel, não era possível. 
O cadáver não estava feliz por morrer tão tragicamente e ele não iria ficar sozinho naquela floresta.

-ahhh!!!!!

Deixe seu comentário e até mais!

Sigam os igs:

@linguaeliteratura_
@fabipsanchez
@leilabookcook
@tworeadersgirls
@cristianeolis78




terça-feira, 30 de julho de 2019

A serpente e o amor - por Fabi Sanchez

Olá povo que lê!
Como vocês estão? Lendo muito neste inverno? Pois é, como dissemos no post coletivo anterior , parece não haver nada melhor que uma boa bebida quente, um cobertor e um bom livro para esquentar este inverno, mas... eu tenho algo que as vezes é melhor do que essa combinação, sim: Amor! Ownnnn!!! Então para todos os apaixonados de plantão, segue uma poesia que fiz semana passada para o instagran @poeticonceito para esquentar nossos corações gelados.

Resultado de imagem para cobra e amor

sexta-feira, 26 de julho de 2019

Leituras para aquecer o inverno - Coletivo



Minha gente!

Como vocês estão?

Tão geladinhos quanto o Olaf?

Embora eu esteja em outro pólo, sempre acompanho notícias de além-mar e vi o quão frias algumas partes do Brasil ficaram!

Até a Elsa teria se sentido em casa se tivesse passado o primeiro final de semana de Julho em SP ou, se quisesse ser mais radical, no RS!







E já que comecei dando exemplo de personagens de filmes, quem já viu cenas de algum filme ou documentário que se passasse na Rússia deve, obviamente, ter notado que o frio por ali não dá trégua.


 Toda aquela paisagem linda, que mais parece ser uma pintura, cobra um preço para que os espectadores possam usufruir de sua beleza: meses e meses de um inverno que parece não ter fim. 


Bem, aí você deve ter pensado: mas frio combina com leitura. 
Um bom livro, uma caneca generosa de chocolate quente e lá vamos nós.
Você acha que dias frios dão mais motivação para nos dedicarmos à leitura?

Certa vez alguém me disse que regiões frias tem uma porcentagem maior de leitores. Será mesmo?

A Rússia é um exemplo de lugar propício para alguém se dedicar à leitura, então.

A dureza do inverno russo é lendária e seus escritores e poetas revelam sua beleza e romanticismo em novelas clássicas, contos e poesia.



Cada estação do ano inspira, à seu próprio modo, escritores e poetas.

Mas parece que o inverno russo teve um efeito único em algumas obras literárias : o silêncio tilintante, o brilho da neve, os sinos de uma troika, o ranger das pás e o som crocante das pisadas - quase todo clássico russo descreveu esses elementos. 

Os russos parecem amar seu inverno! Há quem diga que as nevascas, as tempestades de neve, o frio voraz - compôs a disposição de espírito nacional russa, tornando-a mais forte e completa.

O mestre da descrição de paisagens, Ivan Turguêniev, também não resistia à beleza do inverno russo.



Eis aqui um trecho de uma das obras de Turguêniev, Pais e Filhos:

“Passaram-se seis meses. O branco inverno instalou a cruel imobilidade das geadas sem nuvens, com sua neve crocante, o gelo róseo sobre as árvores, o céu de uma cor esmeralda esmaecida, a grinalda de fumaça se enrolando sobre as chaminés, o vapor emergindo das portas momentaneamente abertas, com aqueles rostos frescos que pareciam mordidos pelo frio; a noite fria penetrava aguda pelo ar sem movimento, e o por do sol brilhante esmorecia rapidamente." 


Confesso que não li muitos clássicos russos. Talvez por ter me faltado mais curiosidade e empenho, porém, um que li e recomendo bastante é Anna Karenina, de Lev (ou Leo) Tolstoy.



Essa obra sempre ficou marcada em minha memória porque a forma como tudo era descrito e mais a dramaticidade das situações me fizeram parar e refletir, por vários momentos, sobre as dificuldades de se viver num lugar com um inverno tão rigoroso.



Deixo aqui uma pequena passagem da obra:

“A tempestade veloz arremetia assobiando entre as rodas dos vagões, em torno dos andaimes, e na curva da esquina da estação. Os vagões, postes, pessoas, tudo o que podia ser visto estava coberto de neve de um lado e estava ficando cada vez mais e mais densamente coberto. Por um momento, viria uma bonança na tempestade, mas então ela seria assolada novamente com tais golpes que parecia impossível se colocar contra.

E agarrando-se à batente gelada, ela escalou os degraus e chegou rapidamente ao corredor do vagão.”

Como se não bastasse a história dramática, ainda tem todo esse frio pouco amigável oriundo do pólo norte.





Brrrrrrrrr!
Haja coração!

E o que você acha?
Literatura russa e inverno rigoroso: combinação perfeita?

O que você está lendo neste inverno?

Até a próxima e mantenham-se quentinhos!


Cris
---------------------------------------------------------------------------------------------------------

Não sei vocês, mas no inverno meus neurônios se põe a funcionar de forma vertiginosa. Penso, penso, penso penso pensopensopenso...
No inverno as pessoas parecem mais solícitas umas com as outras, mais tolerantes, menos falantes, escutam-se mais, e por essa razão, o frio tanto faz e me vem uma necessidade de aproximação, de uma boa conversa ao pé da fogueira regada a quentão. 
Sei que nem todos são predispostos as mesmas sensações que as minhas, mas Leminski as tinha. 
Essa necessidade de ritmar e amar o que se há do nada que se viu no frio.
Sintam o inverno aquecido em seu interno pelas palavras de seu poema "4 poemas de inverno."



Resultado de imagem para poemas de inverno leminski
Fabi Sanchez

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------



Inverno me lembra chuva, frio e aconchego. Momento propício para se enrolar nos cobertores e curtir uma sessão da tarde, mas não de filmes e sim, de livros. Com um chá ou cafezinho – sou da turma do café – inverno é ótimo para curtir dias preguiçosos.
E nesses dias, busco leituras mais leves, engraçadas, que tirem o cinza dos meus dias. Quem me conhece sabe que detesto inverno.





Deixo alguns exemplos de livros que você não vai querer largar até terminar a estória:

A vida do livreiro A J Friky - Gabrielle Zevin

Um livreiro mau-humorado e solitário vai receber uma nova chance na vida após uma tragédia pessoal. Cheio de referências a outras obras, esse livro curtinho é o tipo de romance que prenderá qualquer apaixonado pelos livros. 

























Pequenas Grandes Mentiras - Liane Moriarty

Liane Moriarty é a Agatha Christie do século 21. Mas ao contrário da rainha do crime, Liane vai envolver o leitor em um suspense onde ninguém é o que parece. Ás vezes o inimigo pode ser aquela pessoa que convive docemente ao seu lado e a gente nem imagina o quão escuro o ser humano pode ser. 

Agora, se você deseja uma aventura de peso, acredito que essa seja a melhor época para mergulhar em séries:

O senhor do Anéis - J. R. R. Tolkien

Coração de Tinta - Cornelia Funke

Harry Potter - J. K. Rowling

Estou inclusive lendo Harry Potter e o Enigma do Príncipe nessas férias!


Embaixo das cobertas, é claro!


Independente do gênero escolhido, desejo ´à você um inverno cheio de boas estórias a contar.

Lu Rabello


------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Inverno, a estação do ano que mais me faz ler. 
Sempre que entra essa estação chega as férias escolares, quando estudava eu me empolgava nas férias ia correndo comprar livros de amorzinho em sebos. E também vivia na biblioteca literalmente engolindo as estórias com muito café.

As tardes mais produtivas eram aquelas que ficava em casa com meus livros e viajando nas estórias.

Na era crepúsculo eu lia sempre os livros da série e estava muito congelante em Forks em todas as cenas, não sei se só eu sinto agonia quando leio algo que fala sobre frio sendo que estou num calor de 35°C, loucura minha, acho que sim.


Resultado de imagem para forks city

Mas não tem nada melhor do que pegar seu livro, uma manta, um sofá e o café e se deliciar numa estação tão maravilhosa como o inverno.

Por isso, aproveite esse inverno e faça coisas que mais ama fazer nessa estação.

Leila Jacob

E o que vocês mais gostam de fazer no inverno?
Deixe seu comentário!


Sigam os Igs:

@linguaeliteratura_
@fabipsanchez
@leilabookcook
@tworeadersgirls
@cristianeolis78



terça-feira, 23 de julho de 2019

Tag dos 50% - O que li no primeiro semestre de 2019 - por Lu

O meio do ano já se foi e eu vim mostrar algumas de minhas leituras até o meio de 2019, baseada na TAG dos 50% que consiste nas seguintes perguntas:

terça-feira, 16 de julho de 2019

O tempo e a literatura - por Fabi Sanchez

Olá povo que lê!

E aí, estão lendo muito? Aposto que metade dirá que não, pois anda sem tempo... 
Pois é, estamos todos sem tempo...
Para onde ele foi?


quinta-feira, 11 de julho de 2019

Eco só - por Fabi Sanchez

Tarde, povo que lê!

Férias de inverno, né? O que vocês estão fazendo? Eu estou aproveitando pra ler e escrever mais. Agora faço parte de um grupo de poetas no insta chamado @poeticoconceito, onde temos um tema semanal para escrita, portanto pode ser que vocês vejam mais escritos meus por aqui. O tema da vez é: Solidão.
Espero que gostem

29 Solidão

Eco só

Eco
Oco
No peito
Que é leito
De nada
Cada
Dor
Só,
No nascer,
No viver,
No morrer.
Ser
Eco
Oco.

O que acharam? Adoro ouvir os leitores! 
Bjks e Boas leituras a todos!
Fabi

Sigam 
@linguaeliteratura_
@fabipsanchez78
@tworeadgirls
@leilabookcook
@crisoliveira78
@poeticoconceito

terça-feira, 9 de julho de 2019

Eu gosto é de rosas | por Cristiane Oliveira

Há exatamente um mês atrás, a Leila fez um post que contava um pouco sobre como as suas viagens literárias haviam iniciado.
Para quem ainda não teve a oportunidade de conferir, aqui está o link: 


Daí, me lembrei das muitas vezes que tive essa sensação de estar viajando através de contos e histórias de um livro.
Foram tantas viagens...
Umas bem felizes, outras nem tanto, mas o efeito que cada uma criou em minha mente foi benéfico: foi a partir dessas sensações que comecei a me formar como leitora, a buscar mais entendimento sobre gêneros literários e a saber que, de repente, a leitura de uma obra pudesse não ser oportuna para aquele meu momento de vida.

sexta-feira, 5 de julho de 2019

Quem sabe um dia | Por Leila Jacob




Olá querido leitor, tudo bem?

Esse post é inspirado no livro "Quem sabe um dia" de Lauren Graham, nossa eterna mãe querida, Lorelai Gilmore. Conta a historia de Franny, uma aspirante a atriz que dá um prazo a si mesma de ganhar estabilidade em sua carreia em 3 anos, podemos perceber que é uma quase autobiografia da Lauren; um chick - lit gostoso de ler e ótimo para refletir.


Imagem relacionada


terça-feira, 2 de julho de 2019

Literatura nordestina

"É noite de São João, o céu fica todo iluminado, fica todo enluarado, pintadinho de balão"
Quem aí já foi a uma festa junina no Nordeste do Brasil, levanta a mão. Em homenagem, hoje falaremos sobre nossa singular e riquíssima Literatura Nordestina

Imagem relacionada


terça-feira, 25 de junho de 2019

Livros adaptados para o cinema



Bastou um livro fazer grande sucesso, que logo vem as produtoras de filmes atrás, buscando carona no sucesso literário.
Esse ano de 2019, em especial, veio cheio de adaptações de grandes obras.

terça-feira, 18 de junho de 2019

Quando um gênero te fisga - por Fabi Sanchez

Olá, povo que lê!!!

Já aconteceu com vocês de ficarem por um longo tempo lendo o mesmo gênero literário?
Comigo algumas vezes.



terça-feira, 11 de junho de 2019

É um pássaro? É um avião? Quase! É o gênero épico...| por Cristiane Oliveira


Esses dias eu estava revisando a vida...

Revi fotos de lugares sensacionais por onde passei, pessoas que me deram e ainda me dão alegrias e tantas outras memorabílias de anos luz atrás...

 No meio de pôsteres de pop stars que eu gostava na época (e muitos que, até hoje, ainda gosto), camisetas de bandas, cartas e cartões de amigos, brinquedos super desejados (que, por sinal, levaram certo tempo para serem chamados de “meus” por seus valores elevados e pela falta de recursos para tal fim), eis que acho alguns dos bens mais preciosos de todos... aqueles que, mesmo com o orçamento meio desfavorável, a gente puxa daqui e dali, parcela, pré-data (ainda existe isso? Kkk), mas faz acontecer: os livros.

Em minhas mãos veio parar um dos primeiros exemplares de estudo de literatura com os quais tive contato: Estudos de Língua e Literatura, de Douglas Tufano.



Foi a partir daí que comecei a me interessar mais por literatura e, como forma de reter com mais eficiência tudo o que eu conseguisse ler, passei a buscar mais informação sobre os bastidores de determinados assuntos. Um deles sendo sobre os gêneros literários.

Pensei: Já que eu tenho que estudar análise sintática, deixa eu já botar mais isso aqui no pacote!

E foi a partir daí que comecei a ler tendo em mente o tipo de gênero literário que determinado autor havia escolhido para desenrolar aquela história.

Um dos gêneros que sempre tive mais apego é o épico. Muito disso por se tratar de uma narração (proveniente da palavra grega “epos “).

 E do que se ocupa mesmo o gênero épico dentro da literatura?

Para poder ajudar mais a fixar a linha que segue o gênero épico, pensa naquele seu vô, tios, ou até mesmo seu pai (e nada contra o gênero feminino, mas é que as contações de “causos”, pela minha memória, sempre vieram mais do lado masculino...) Pois bem, pense em um deles, que sempre tem um caso para contar! Cheios de detalhes, datas, nomes e, muitas vezes, essas personagens são sempre munidas de qualidades extraordinárias, super poderes...

Isso te fez lembrar daquelas conversas de pescadores, né? Kkkkk

Tipo: pesquei uma orca de 3 toneladas sozinho, fatiei, limpei e fiz  filezinho de baleia para todo mundo degustar no jantar...

Ou seja, o gênero épico é salpicado com a presença de forças sobrenaturais, combates físicos, tudo sempre bem majestoso.

Resumindo, personagens da literatura épica são “zica”! Não tem para ninguém! São os reis da galáxia! Kkkkk

Sabe aquele monte de obra literária medieval, regado com gregos, germânicos e escandinavos? Pois é... Épico!

Um grandioso exemplo é A Divina Comédia, de Dante Alighieri.



É denso, recheado de presenças de manifestações políticas, história, geografia, filosofia, astronomia, mitologia e é escrito em poesia, o que torna tudo bem mais desafiador.

Portanto, segure-se! Força na peruca e muita coragem!

Com foco e, no início, tempo, valerá muito a pena. Principalmente se você ler com notas explicativas e textos de introdução.



Boa leitura!

domingo, 9 de junho de 2019

Viagens literárias - Por Leila Jacob


Na maioria das vezes não é preciso pegar uma estrada ou cortar as nuvens para viajar. Ao abrir um livro você entra em contato com vários lugares da terra e fora dessa realidade também, mas isso quem é leitor sabe, e esse é um dos prazeres literários. 

Certa vez, estava lendo um livro e, em determinado momento, dois personagens estavam em uma biblioteca. A protagonista, encantada com os livros, disse que amava estar em uma biblioteca, e o homem, disse que odiava, pois parecia um cemitério de livros. Se eu estivesse participando dessa conversa diria que ali era o portal de embarque para todas as viagens.




Quando entrei na adolescência, meus pais permitiram meus passeios pelo bairro sozinha ou com amigas. Nesses passeios conheci a biblioteca local. Na época eu já estava encantada com a leitura fazia um tempinho e com a ajuda dos funcionários eu li diversos livros legais. Foi nessa onda que conheci Meg Cabot, Alisson Noel, Stephanie Meyer e muitas autores contemporâneos.




Me perdia em prateleiras, demorava quase uma tarde inteira pra escolher 3 livros e ler tudo em uma semana. Viajava pelas estantes e quando chegava em casa viajava pelas palavras.
Li clássicos que na época eu não tinha entendido muito bem e hoje relendo vejo que meu conceito mudou muito, nada como o amadurecimento para nos transformar.



Hoje ainda frequento esta biblioteca, e ainda pego livros emprestados do acervo e quando vejo livros que já li na prateleira dou risada e lembro das viagens que fiz quando embarquei neles.
Nada melhor do que experiencias para contar aqui no L & L.




Na minha última visita ganhei uma Abayomi, aquela que traz alegria, boneca que as mães faziam para seus filhos nos navios negreiros para eles brincarem.Teve uma oficina de "monte seu brinquedo" e as crianças ficaram animadíssimas rsrs.

Em breve falarei mais sobre esse espaço que frequento, enquanto isso me contem, onde que você começou suas viagens literárias?

Beijos!




terça-feira, 21 de maio de 2019

Biblioteca de Jundiaí Nelson Foot

Olá, povo que lê!!

Dia 07 de maio fiz uma viagem incrível! Fui junto com os diretores das escolas municipais daqui de Piracaia à Biblioteca Municipal de Jundiaí Nelson Foot.

terça-feira, 14 de maio de 2019

Poções mágicas de felicidade | por Cristiane Oliveira



Sabe aquela leitura útil, mas útil mesmo e que passa de geração para geração e que fica sempre ali, pronta para você dar uma espiadinha num momento de ócio criativo ou em uma emergência? 
Pois é... Minhas enciclopédias e livros sobre fitoterapia, medicina natural e alimentos funcionais fazem esse papel. 
Eu simplesmente amo esses manuais de vida úteis. Já testei várias recomendações e tive resultados muitos bons.
Não vou dizer que o resultado é do dia para a noite, mas esses guias são como uma reeducação ou uma preparação para alguma etapa da vida que vai te exigir mais fortalecimento, concentração, enfim, mudanças benéficas a longo prazo. 
Descobri que meu quintal, meu jardim, poderiam me munir com fontes riquíssimas de doses diárias de bem-estar. 
Morando em uma pequena “selva”, meu abacates, limas da Pérsia, ameixas,  mamões, pitangas, goiabas, mangas, figos, ora-pro-nobis, couves, taiobas,  hortelãs, ervas-cidreiras e algumas outras PANCS, me abastecem (e a alguns vizinhos também), durante épocas distintas do ano. 
E quanto mais eu me dedico à leitura dessas jóias, mais eu aprendo e mais eu me surpreendo. 
Conhecimento é ouro e ter livros que tratam de medicina e alimentação mais naturais são a fonte de uma vida muito mais saudável e equilibrada.