sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

Literatura de verão



Olá, leitores!

Hoje tem postagem coletiva, e querem saber qual o tema: Verão!
Mas o verão já está acabando, meninas! Não tem problema, moramos "num país tropical, abençoado por Deus", onde quase sempre é verão, e caso esfrie, ano que vem tem mais!
Portanto, vejam as dicas das nossas colunistas sobre literatura com o tema de fundo Verão

Olá, povo que lê!

Quando penso em literatura de verão, penso logo em literatura nordestina, não consigo evitar, me desculpem! E mais, penso em João Ubaldo Ribeiro. Sou suspeita a falar deste escritor. Sua escrita é tão leve e engraçada, ao mesmo tempo toca tão na ferida da cultura, da política e dos costumes brasileiros, sem contar o cenário de Itaparica, gente, nunca fui pra Itaparica, mas lendo os contos do Ubaldo, só penso num solzão, coqueiro, rede, cerveja, um bom papo jogado fora, um calorão tremendo... Selecionei o conto "Um professor ensina amor em Itaparica" do livro "Arte e ciência de roubar galinhas" pra ilustrar. Vejam que em nenhum momento ele fala a palavra verão, mas diz se você não imagina a cena se passando numa tarde quente pra arrebentar.




Gostou do conto? Então agora aproveita pra ler o livro todo, tenho certeza que você vai dar boas risadas.

Bjks e Boas Leituras!
Fabi



Lusia

Bem, o verão me lembra praia, calor, passeios e diversão. Nada melhor que um livro rápido de ser lido. Daqueles em que lemos embaixo do guarda-sol.
Trouxe um livro em ambiente praiano e muito rápido de ser lido.

A Filha Perdida de Elena Ferrante



A escritora que ficou famosa por sua série napolitana, traz nesse livro único a estória de Leda. Uma mulher de meia idade que decide se dar um tempo: tempo da casa, da filha, dos problemas cotidianos e vai passar alguns dias na praia.

Lá vai se deparar com uma numerosa família. Entre esse mar de gente, chama a sua atenção uma garotinha que vive brincado com sua “filha”, sua bonequinha nas areias da praia. Essa boneca inseparável um dia some e é nesse momento que as vidas de Leda e Nina se cruzarão. 


Conflitos entre filhos, a mulher em busca de se encontrar, são questões que esse romance curtinho, vai abordar.

Como mãe, a fuga me trouxe uma sensação de egoísmo, é difícil ter empatia por uma personagem assim mas a verdade é que “Às vezes, precisamos fugir para não morrer” como narra em um dos trechos. É aí que se torna um pouco mais fácil entender o que a motivou a tomar algumas decisões. “Bobagem pensar que é possível falar de si mesmo aos filhos antes que eles tenham pelo menos cinquenta anos. Querer ser vista por eles como uma pessoa e não como uma função. Dizer sou sua história, vocês começam comigo, escutem, pode ser útil”. Um livro para filhos, mães e pais refletirem sobre sua história.

Gostei desse primeiro contato com a autora que tem uma escrita gostosa e fácil de ser lida. Tudo a ver com esse clima.

E vocês, quais livros com a cara do verão me recomendam?
Curiosa para saber.
Boas leituras

2 comentários:

  1. Uau!
    Me interessei pelos livros meninas, parabéns post sensacional😘😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc vai adorar Ubaldo Ribeiro, Leiloca, leia algumas crônicas para conhecê-lo e depois me conte o que achou

      Excluir