sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Você abandona livros? - Lu Rabello


Quem lê muito, mais cedo ou mais tarde, vai se deparar com alguma leitura não muito boa. Aí vem o dilema: ir até o fim ou abandonar o livro?

É sobre isso que vamos conversar hoje.
Sou uma leitora com algumas décadas de experiência com os livros.
Nunca gostei de começar um livro e não finalizar. Na verdade, com tudo. Se começo algo tenho que ir até o fim.
Porém os anos vão passando e consequentemente as leituras vão crescendo. Minha pilha de livros desejados chega na lua e volta.


"Ao Infinito e Além"

Aí comecei a pensar: “Vale a pena continuar uma leitura que não está me trazendo alegria?” “Tenho tanto a ler e vou ficar sofrendo com essa estória?”

Foi a partir desses pensamentos que comecei a desapegar.
E qual o critério para abandonar um livro?
Cada um terá o seu, mas eu avalio o meu grau de interesse em saber o final da estória.
Alguns são ruins desde o início, já outros, a estória vai bem até o meio, depois se perde. 
Sendo assim, se existe algo que me prenda eu até faço um esforço, se não...a pilha de livros abandonados sobe na mesma medida que a de livros a serem lidos.

Acredito que isso se deva à maturidade de saber que o mundo não acaba se você não finaliza um livro (ou não termina um filme, por exemplo)
E à maturidade intelectual também. Como disse no começo leio há muitos anos e conforme o tempo passa nossos gostos se alteram. O que era bom há 10 anos atrás, hoje pode não atrair mais. Vamos lendo coisas diferentes, nosso cérebro vai pedindo mais substância e quando a leitura não oferece, bate essa frustração de ter que largar algo porque aquele tipo de estória já não nos acrescenta nada.

Estão curiosos para saber o que já joguei pra escanteio?

Um deles é uma unanimidade entre leitores. Um queridinho adorado por todas as idades.
Quem arrisca um palpite?

Se você pensou em O Morro dos Ventos Uivantes, acertou.
Você não gostou desse livro? Como assim?”, devem estar pensando.
Eu ODIEI. Li umas 80 páginas (fui insistente para saber o porque de tanta fama) e decidi que foi o bastante.
Para mim, essa não é uma estória de amor. É uma estória doentia.
O amor não precisa de tanta raiva, não precisa de vingança. O amor tem que ser leve, feliz...


Meu primeiro abandono


Indo pela ideia do amor verdadeiro não precisar de tantos “subterfúgios”, outro que não me agradou em nada foi Cinquenta Tons de Cinza.
Li o 1º, mas não teve jeito. Estória ruim, mal escrita, idealizada de forma infantil e totalmente fora da realidade. Nem aos filmes assisti.

Outro que larguei, e esse bem no início, na página 10 mais ou menos, foi A Desumanização de Valter Hugo Mãe.
Nem lembro o porque de não ter gostado da narrativa, mas vi que "sofreria" demais lendo essa estória. Fiquei até chateada por ouvir tantos elogios ao autor e ter me decepcionado de cara (era meu primeiro contato com seus livros), mas não dava pra continuar.

E o um dos últimos que larguei foi O Poder do Hábito. Eu sou doida por temas que envolvam produtividade e organização. Porém nesse livro não encontrei nada disso. São relatos de pessoas que transformaram suas vidas de acordo com algum hábito, mas só. Nada concreto para auxiliar na realização de incorporações de hábitos no dia a dia. Um quase "auto-ajuda". Nada contra, mas esse nicho literário não me encanta.
Ainda no mesmo tema, um autor que tentei ler foi Augusto Cury. Nem lembro qual livro foi, mas achei mais do mesmo e percebi que nada do que ele escrever irá me interessar.

Vocês costumam abandonar leituras? Me contem! 
Vamos combinar que a vida é curta demais para livro ruim! Ei, e vale dizer que um livro pode ser péssimo para mim e excelente para você. Sem preconceitos.

Um beijo e até a próxima
Lu

Siga @tworeadergirls no Instagram



5 comentários:

  1. Oi Lu.
    Eu abandono os livros hoje, já me torturei lendo livros horríveis.
    Eu li O morro dos ventos uivantes quando tinha 14 anos, algum tempo atras fui dá uma folheada no livro e achei odioso.
    As vezes uma historia não funciona em determinada época e outras são ruins mesmo rsrs.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais uma para o clube Detestamos o Morro....A Fabi tb não gostou.
      Concordo, as vezes não é a hora de um livro ser lido mas tem uns que serão ruins hoje e daqui a 100 anos tb...rs Bj

      Excluir
  2. Oi Lu! Já abandonei livros e ainda me martirizo com isso rsrs Mas chega uma hora que precisamos seguir em frente né!
    Eu amo o Poder do Hábito mas gostei da sua opinião sobre ele. O autor talvez tenha deixado sua experiência como jornalista transparecer através apenas dos relatos, mas não consegui não amá-lo rsrs

    Beijo grande e parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não nos martirizemos! Tem tanta estória boa a ser lida, ne?! Obrigada pelo carinho. Bj

      Excluir
  3. Eu abandono! Me sinto tão adulta abandonando leituras chatas as quais não sou obrigada! kkkkkkkkkkkkk! O morro dos ventos uivantes, fui até o meio desse infeliz, dando uma chance pra ele, mas ele quis ser legal? Não, não quis. Não só larguei a leitura como me desfiz do livro! Sejamos felizes lendo aquilo que nos deixe felizes!
    Bjks, Lu!

    ResponderExcluir