terça-feira, 12 de novembro de 2019

Ler ou comer? Por que não os dois?/ por Cristiane Oliveira


Minha gente! 
E não é que chegou o mês de um dos feriados mais aguardados no lado norte do mapa?

Pois é… Dia de ação de graças é aquele feriadão prolongado que proporciona não só encontros familiares, mas muita, muuuuuuitaaaaaa comilança.

Pensando nisso, resolvi destacar o assunto me utilizando de duas atividades muito prazerosas: leitura e gastronomia.

Há algum tempinho, visitei um restaurante especializado em comida de origem latina. Hmmmmmm! Que delícia foi sentir aquela mistura de temperos bem dosados em pratos, ao meu ver, do dia a dia: arroz, feijão preto e acompanhamentos saborosíssimos que passavam por carnes, frangos, leitão e peixes. 
E, claro, as bananas à milanesa… Que delícia!

Ah, o nome do restaurante, você deve estar se perguntando… Columbia!
Vou deixar o site, caso vocês queiram conhecer mais sobre a história do lugar:


O Columbia, como qualquer bom empreendimento localizado nos EUA, possui uma loja de souvenires e lá adivinha o que encontrei?

Siiiiiiim! Um livro que conta a história do restaurante. Desde a sua fundação, gerações que se sucederam na gestão das unidades, premiações e, óbvio, receitas. 



E quais são outros restaurantes/chefs que já se aventuraram a mesclar as histórias de estabelecimentos, memórias e receitas? 

Vamos a alguns deles?

Janaina Rueda

A chef preparou um livro com a história de 50 restaurantes em São Paulo com mais de 50 anos. Uma obra muito interessante para quem quer entender mais da cidade pela gastronomia.






Paola Carosella

A chef conta histórias autobiográficas unidas a mais de 90 receitas servidas nos menus do seu restaurante Arturito. É uma leitura emocionante e que faz muita gente sentir aquela memória afetiva. 






Rodrigo Oliveira

Esse é o meu chefe predileto! 
Proprietário do restaurante Mocotó, lançou o seu livro "Mocotó - O pai, o filho e o restaurante", que conta a sua história de vida e de seu pai, Zé Almeida. Ao ler a obra, o leitor pode se emocionar por diversas vezes ao descobrir a origem e a paixão do chef por gastronomia.






Leitura e a degustação de uma refeição tem bastante coisa em comum: pedem paz, foco, entrega e, em alguns casos, um local silencioso para se aproveitar cada momento entre uma página e outra ou entre uma garfada e outra. 

Que cada leitura e cada refeição que você fizer, não seja só um movimento automático do “precisar fazer”, mas sim um “farei prestando toda a atenção que essa atividade merece”, pois tanto uma quanto a outra nos mantém vivos, felizes e gratos.

Feliz dia de ação de graças! 

Cris


Sigam os Igs:

@linguaeliteratura_
@fabipsanchez
@leilabookcook
@tworeadersgirls
@cristianeolis78










Nenhum comentário:

Postar um comentário