quinta-feira, 6 de fevereiro de 2020

Desafio de escrita criativa: A reunião - por Leila Jacob

Caros leitores.
O desafio de escrita da semana é escrever sobre um fato historico, o que eu abordei no texto foi algo bem triste para todos que lembram do ocorrido.
Bem, a Fabi postou um texto bem legal na segunda, caso não tenham visto,           segue o link, Mulheres modernas.
Espero que aproveitem a leitura.

Resultado de imagem para torres gemeas

A Reunião

Não tinha sido a melhor reunião de Tessa, e o pior era que estava tão confiante que tudo daria certo e que meses de dedicação a esse projeto seriam recompensados assim que os empresários olhassem.
Mas não foi assim, os homens daquela sala só tinham olhares vagos e sem emoção para o que ela dizia.
Talvez se Tessa abrisse os botões da camisa ou fosse com uma mini saia poderia dar certo, ou se Jules estivesse dando apoio na apresentação nada daria errado pois teria a aprovação dele.
Ela só conseguia pensar como era injusta aquela situação que se repetia e o porquê dela não conseguir o que almejava. Quando chegou no térreo deu uma suspirada bem profunda, precisava respirar, por mais que o ar de Nova Iorque não fosse um dos melhores, naquele momento servia.
A moça saiu do prédio batendo os pés com toda força e adentrou a rua que estava cheia de pessoas, olhou no relógio e viu que ainda era cedo.
Ainda tinha isso, como alguém poderia apresentar um projeto em 25 minutos e a dispensa ser assim tão rápida.
Olhou para as torres e apertou as pálpebras com o indicador e o polegar, a altura lhe dava tontura, sentiu um aperto enorme no peito e quis sair imediatamente daquele lugar, andou sem rumo por alguns minutos até que viu uma mensagem de Jules.

Jules: Depois que sair me encontre no nosso lugar.

Tessa revirou os olhos sem acreditar naquele cretino, falta na apresentação e ainda acha que pode comprá-la.
Cansada, ela se sentou num banco da praça e repensou tudo que havia feito nos últimos meses, havia muito a ser resolvido, pois aquele parecia o pior dia da sua vida.

Ainda não era 9hrs e o dia já se mostrava péssimo, até que Tessa ouviu um estrondo que a assustou. Viu que algumas pessoas correram para o meio da rua e olhavam para o alto. A curiosidade aflorou e ela fez o mesmo. Seu coração disparou e um nó se formou em sua garganta.
Escutara as pessoas gritando e dizendo "Uma bomba no Word Trade Center!", outras diziam "Foi um avião!!!", "É um atentado!".
E então Tessa correu até chegar próximo a Torre norte. Havia uma movimentação e todos os olhares se voltavam para o céu, confusos e tristes. A aglomeração foi tamanha, pessoas saindo do prédio até que ela olhou para cima e viu um avião adentrando a torre sul.
Seu coração quase saiu pela boca e nesse momento gritos de desespero foram entoados, se sentindo enauseada ela se sentou no meio fio com a mão no rosto pensando em milhares de possibilidades.
Sentiu uma mão puxando-a para cima, quando olhou, viu Jules com um olhar assustado.

- Tessa! Que bom que está aqui! - Puxou-a para um abraço apertado.
- O que está acontecendo Jules? - Indagou em prantos.
- Não sei...Eles estão lá? - Perguntou preocupado.
Nessa hora Tessa entendeu o tamanho do estrago.


Deixem comentários e vamos bater um papo legal.
Até quinta que vem!

Siga-nos no instagram: 

@linguaeliteratura_

@fabipsanchez

@cristianeolis78

@tworeadersgirls

@leilabookcook

@culinariaehorta












2 comentários:

  1. Nossa, menina, no dia do atentado eu estava na Rádio América, e foi uma coisa de louco, as notícias chegavam na mesma hora, parecia q eu estava lá, foi horrível...
    Fiquei pensando em quantas histórias existem para contar desse mesmo fato, não? Quantos pontos de vista... Muito bom, seu texto!! Parabéns!

    ResponderExcluir