sexta-feira, 19 de junho de 2020

Desafio de escrita criativa: O poder da conquista - por Leila Jacob

Caro leitor,
Meu primeiro animal de estimação ainda está entre nós, uma gata bem independente e metida que tem 5 aninhos.
Eu fui mãe de pet bem tarde e descobri esse amor a pouco tempo. O tema da semana é escrever sobre animais, poderia falar de diversos animais que habitam nosso planeta, mas os que acompanham o nosso dia a dia sempre serão os mais marcantes.
Vamos então a outro amor que descobri a pouco tempo.






O poder da conquista.

Todos sabemos que para obter o amor de alguém precisa ser conquistado.
Essa balela de amor a primeira vista só acontece na ficção, ainda não creio nisso pois nunca vi com veracidade acontecer no mundo real.

Naquela tarde eu estava me arrumando para ir trabalhar bem atrasada, como sempre cumprindo o dever de ser brasileira, quando meu pai chega com um filhote de rato no colo, cabia na palma da minha mão.
- Credo!!! Tira esse rato daqui!
- Não é rato não menina é um cachorrinho e é de raça!!!Pega ele pois agora ele vai ser nosso!
Pasma com a afirmação que saiu da boca de meu pai já comecei a resmungar e dizer que eu não queira cachorro pra cuidar pois sabia que quem ia ter que cuidar era eu. Peguei o ratinho e coloquei em um cômodo tracando e fui trabalhar sem sentir um pingo de dó do bichinho.
No outro dia fiquei sabendo que ele uivou o tempo todo e que minha mãe tinha socorrido da prisão que o coloquei.
Depois de dias o ratinho foi fazendo gracinhas e mandando na casa, não tinha nem tamanho e já sabia de seu poder.
Eu logo fui me afeiçoado ao bichinho mas logo também comecei a reprimir esse sentimento.

Logo depois fiquei de férias e meus dias em casa seriam solitários se não fosse pelo cachorrinho que tinha se tornado minha sombra pra onde eu ia ele ia correndo atrás.
Apesar do amor pela ferinha crescer dentro do meu coração, da minha boca só saia que ele deveria ir embora pois daria muito trabalho.
Meu pai revoltado e triste por essas afirmações arrumou uma nova dona para o cachorrinho.

Na hora de levar para sua nova dona eu senti um aperto no peito.
- Vamos levar você para alguém que te queira - Disse meu pai triste com a situação.
Até que senti meus olhos encherem de água e logo gritei:
- Não ele é meu! Ele não vai sair daqui, meu cachorrinho não!
Meus pais começaram a gargalhar da minha reação e também ficaram felizes pela decisão. O danadinho tinha me conquistado!

Já fazem 2 anos que o cachorrinho está aqui comigo, até esse exato momento em que escrevo, deitadinho no colo da mamy mamy, que é o apelido carinhoso que dou pra meus filhos.
Na verdade, essa só é a primeira história de várias que tenho com ele, e ainda vai acontecer muitas.

Me contem sobre os animais de estimação de vocês!
Até semana que vem!


Siga-nos no Instagram

@fabipsanchez78
@tworeadergirls
@cristianeolis78
@culinariaehorta
@leilabookcook 


Nenhum comentário:

Postar um comentário