sábado, 5 de setembro de 2020

Leituras de Agosto de 2020 por Lu Rabello

 

Agosto

O infinito mês do ano chegou ao fim com algumas boas leituras. Pegue um chá ou um café e vem descobrir o que andei lendo


O Café da Praia

Autora: Lucy Diamond

Editora Arqueiro

336 páginas



Que livro gostoso! (livros com comida no título tem como ser ruins?)

Esse faz parte da série Romances de Agora da Editora Arqueiro. Quem se lembra dos famosos romances das séries Bianca, Júlia, Sabrina? Romances melosos, feitos para suspirar e com a certeza de um final feliz. Atualmente, os tais “Romances de Agora”, seguem a linha romântica mas suas protagonistas são jovens modernas, antenadas e que não sofrem (tanto) por amor como as heroínas das estórias antigas. E nem pense que é um livro bobinho, e sem sal – no caso desse, açúcar 

O Café da Praia, é um livro divertido, tem uma estória bacana e bem redondinha.

A atrapalhada Evie recebe o “café da praia” de herança de sua falecida tia Jo .Além de não entender nada de negócios, não sabe também como manejar as panelas...

No meio de atritos profissionais e familiares, problemas no imóvel adquirido e um coração recém partido, ela aprenderá a trazer mais doçura à sua vida com a ajuda de novos amigos.

Ao ler essa estória, me veio a música a seguir na cabeça. Vou pedir para você ouvi-la antes de continuar o texto.

https://www.youtube.com/watch?v=9AEoUa0Hlso&ab_channel=KTTunstallVEVO

Ouviu? Pois então, é esse o clima que senti no livro. E essa foi apenas uma das que se seguiram nesse clima divertido.

Sugiro também as próximas para acompanhar sua leitura. Músicas alto astral, que tem tudo a ver com o clima do livro.

https://www.youtube.com/watch?v=rjOhZZyn30k&ab_channel=CorinneBaileyRaeVEVO

https://www.youtube.com/watch?v=E0oyglKjbFQ&ab_channel=ColbieCaillatVEVO

Daqueles livros para sonhar, desestressar e viajar pra uma praia bem gostosa com amigos ou quem sabe, um amor quente, assim como um bom café deve ser.

Depois dessa leitura fofíssima, mergulhei num clássico mais que conhecido:


Admirável mundo novo

Aldous Huxley

Editora Globo

309 páginas



A Ju, que já escreveu aqui com a gente, tem um grupo de leituras muito bacana no whatsapp  que discute um livro a cada mês. E o escolhido de Agosto foi o Admirável Mundo Novo

Uma distopia clássica  que levei muito tempo para ler. Podemos encaixá-la nessa categoria de clássicos consagrados já que foi uma das primeiras a entrar nesse mundo distópico e por ter influenciado tantas outras como Jogos Vorazes, Divergente e Maze Runner.

No início achei que levaria muito tempo para a leitura deslanchar, tinha um “pré-conceito” de que deveria ser dificil, ou até mesmo chata.

O resultado foi que li em uns 3 dias. Dizia que ia parar logo após tal capitulo e quando via mais 30 páginas tinham voado.

Bem...tudo o que eu disser será pouco. Um livro mais que conhecido e badalado dispensa apresentações mas se você ainda não o leu, segue uma breve discrição:

Uma sociedade futura vive em um mundo perfeito. Sem dores, sem infelicidade. Tudo isso graças a manipulação genética.

Pai e mãe não existem mais. As crianças nascem em laboratório e são criadas tanto para ser mega inteligentes quanto para serem trabalhadores braçais. As pessoas agora são divididas em castas: Alfas, Betas e Ipsilons, entre outros.

Repetições no período do sono como "Nunca deixe para amanhã o prazer que puder gozar hoje" são feitas nesses seres humanos desde muito pequenos para que se acostumem a determinados padrões sem contestações

Tudo isso para evitar frustrações e tristeza. A ordem é ser feliz!

Mas será que isso é bom?

Se você começou a “pensar muito na vida” e sentir deprimido, é só tomar 1g de SOMA que tudo volta a ficar cor de rosa. SOMA é a droga da felicidade. Viver entorpecido faz com que não se reaja negativamente a nada.

Pra que ter somente um parceiro amoroso, se você puder ter todos?

Ser monogamico é um absurdo. Ter sentimentos é um grave erro…E tudo isso apoiado é pelo governo, que não quer que a população sinta. Sentimentos...eles não existem.

Quanto mais eu lia, mas eu percebia que um livro escrito ha quase 100 anos, não poderia ser mais atual.

Altas taxas de depressão, separativismo social, menosprezo às castas mais baixas, tudo isso não parece matéria do jornal que você vê hoje na tv?

Pois é, um livro escrito há quase um século, permanece atualíssimo. Aldous Huxley foi um verdadeiro gênio.

Acima, eu disse que O café da Praia me lembrou determinadas músicas. Esse também me lembrou uma.

Me veio à cabeça a música Jaded, do Aerosmith, em determinado momento de entorpecimento de um personagem.